Nossas Categorias

O INDISPENSÁVEL

VERNIZ para contato alimentar direto VA1005

Novo produto

VERNIZ CONTATO ALIMENTAR DIRETO FoodSafe VA1005

Verniz certificado para estar em contato direto com os alimentos

Verniz testado para as migrações de substâncias perigosas

Adequado para recipientes alimentares

Kit de 1,05 ou 5,25 kg



> Veja a descrição completa

- +

check Mais do que 395 em estoque!

In Stock61,50€IVA incluido

Pagamento seguro com:logopaiement
 
Mais informação

O nosso verniz alimentar transparente VA1005 STARDUST foi estudado para estar em contato direto com os alimentos.

Este verniz transparente foi elaborado com uma receita em fase aquosa, é bicomponente (verniz 100 % + endurecedor 5%), o que lhe dá uma resistência bem melhor.

Aplicações do verniz para contato direto com os alimentos :

Utensílios de cozinha, talheres, utensílios de armazenagem e conservação, máquinas e pequenos aparelhos eletrodomésticos, recipientes de madeira, matérias primas para produtos e recipientes, materiais/utensílios para uso industrial.

Pode ser palicado sobre metal, madeira, vidro e diferentes plásticos como o ABS (aderência direta) ou PP polipropileno.

Caraterísticas do verniz alimentar VA1005

Verniz transparente à base de água com poliuretano bicomponente.

Tem um aspeto incolor e mate/baço. Este verniz tem uma grande elasticidade e uma excelente resistência química (álcool) e física.

Ofertas :

o produto é entregue num kit completo, ou seja com verniz + endurecedor

kit VA1005 : 1L + 50ml endurecedor H1005

kit VA1005 : 5L + 250ml endurecedor H1005

kit VA1005 : 20L + 1Litro endurecedor H1005

Para obter verniz alimentar em quantidades industriais, contate a nossa equipa por email. Preços degressivos e adatados são previstos.

Regulamentação :

Este verniz para produtos alimentares é qualificado de « contato direto » e é conforme às exigências do Regulamento 10/2011 relativo aos materiais e objetos de matéria plástica destinados a entrar em contato com os alimentos de acordo com os ensaios OM3* realizados por um laboratório independente com relatórios (ensaio 2021).

As normas e os ensaios garantem que as substâncias contidas nos materiais destes produtos não migrem para o alimento em quantidades que podriam representar um perigo para o consumidor, não modificam a composição química do alimento ou as suas propriedades organolépticas.



PROPRIEDADES FÍSICO-QUÍMICAS

Aspeto : esbranquiçado

Estado líquido

Densidade : 1,0 g/l

Sólidos : 35 ± 2%

Brilho : 2º- 2,5º

pH : 8

Viscosidade de alimentação: 10 '' - 12 '' (Copo Ford Nº6)

CONDIÇÕES DE APLICAÇÃO do verniz alimentar VA1005

Para uma aplicação correta, fazer a mistura seguinte (em peso):

Verniz alimentar 2107201509 hidro bicomponente 100 volumes

Catalisador 2107201509 5%: 5 volumes

Agitação Mistura: Use um agitador para misturar o endurecedor no verniz.

(Risco de formação de grãos ou grumos quando a mistura é tardia ou insuficiente)

Viscosidade de aplicação: 18 '' - 20 ''T = 20ºC (Copo Ford Nº6)

Ajustar a viscosidade com água destilada se necessário

Aplicação recomendada 100 micrómetros (molhado) ou seja 35µm seco

Rendimento teórico: 10m² / Litro para 35µm

SECAGEM

Secar a temparatura ambiente durante 24 horas ou

para acelerar a secagem, secar a T°= 50ºC durante 30 minutos.

As propriedades de dureza e de aderência são conseguidas após 48-72 horas a 20°C

ENSAIOS E METODOLOGIA APLICADA PARA TESTAR O VERNIZ ALIMENTAR VA1005

A metodologia foi retomada do Regulamento 10/2011 e das suas modificações ulteriores.

Migração global nas condições de utilização OM3 (2h, 70ºC).

Simuladores:

Para todos os tipos de alimentos, os simuladores A (10 % de etanol), B (3 % de ácido acético) e D2 (trimetilpentano e 95 % de etanol) são utilizados.

Quadro – Lista dos ensaios pedidos e metodologia aplicada.

Simuladores

Condições

Parâmetros estudados

Metodologia

A Etanol 10%

Condições standard OM3 (70ºC, 2h)

Migrações mundiais

Regulamento 10/2011 e modificações ulteriores

B Ácido acético 3%

D2 (trimetilpentano e etanol 95%)

DESCRIÇÃO DO MÉTODO PARA USAR O VERNIZ PARA PRODUTOS EM CONTATO DIRETO COM OS ALIMENTOS

A migração global é realizada com simuladores (A, B) nas condições standard OM3, as quais incluem condições de contato alimentar que implicam um enchimento a quente (contato) e/ou um aquecimento até uma temperatura T em que 70 ºC ≤ T 100°C para um máximo de t = 120/2 ^ [(T-70) / 10] minutos.

Utilização de forma repetida:

No caso de produtos destinados a entrar em contato com produtos alimentares de forma repetida, o ou os ensaio(s) de migração devem ser feitos três vezes sobre uma mesma amostra, utilizando cada vez outra porção do simulador alimentar.

A certificação de conformidade 

Certificar a conformidade alimentar do verniz e certificar que um verniz pode entrar em contato com alimentos apenas com a migração global requer um estudo prévio.

Nós, enquanto fabricante de verniz, e o nosso laboratório parceiro, especializado e independente, o orientamos e fazemos este estudo.

Nos podemos encarregar de todos ou parte dos custos dos ensaios de migração e de certificação.

De acordo com o regulamento europeu 10/2011 e as suas modificações ulteriores, existem diferentes opções e condições de ensaios (OM0 a OM7), as quais se referem a migrações específicas. Para determinar a migração global, as condições de ensaio standard são diferentes.

O verniz alimentar contato direto da Stardust é testado conforme as condições OM3

Migração global de um revestimento de acordo com as condições standard OM3, para qualquer tipo de alimento (simuladores A, B e D2): os simuladores para o estudo de todos os tipos de alimentos são definidos como: A, B e D2. E (simulador a seco) não é utilizado (supõe-se que uma maior quantidade migra em meio aquoso ou gorduroso do que em contato seco).

O relatório de conformidade refere-se à migração global (<10 mg/dm2) de acordo com a norma.

O ensaio não se refere a uma migração específica, mas sim à migração global.

O estudo prévio e a conformidade

Antes de realizar os testes de migração, temos que determinar as boas condições de ensaio. Em função da utilização prevista, da embalagem e da temperatura, preveem-se diferentes condições de ensaio. Exemplos:

  • Embalagem para frutas e legumes: 40°C e 10 dias de contato.

  • Copo de plástico: 70°C a 100°C durante 15 a 30 minutos.

Desta maneira, para saber que condições de ensaio aplicar (duração e temperatura), nós baseamos sobre o uso previsto a estudar deacordo com o regulamento 10/2011 (O anexo III, quadro 2 do 10/2011, intitulado « Atribuição específica de simuladores alimentares a categorias de alimentos », ajuda na escolha do ensaio adatado ao produto alimentar e ao seu uso).

Nesse uso, como no exemplo do copo de plástico, optamos pelas peores condições, ou seja que um vidro pode ser usado para beber um líquido a temperatura ambiente ou a ferver. Em cada caso, temos que optar para um uso planificado com critérios que julgamos apropriados.

A especificar pela empresa que coloca no mercado:

> Condições do ensaio (conforme o uso previsto e determinado pela empresa)

> Simuladores (conforme os alimentos com os quais entrarão em contato).

O simulador também é escolhido em função dos alimentos com os quais pode entrar em contato. É verdade que para todos os tipos de alimentos, escolhem-se os simuladores A, B e D2 (simulador E em caso de contato seco). Mas em todos os casos, deve ser especificado pela empresa na mesma.

O ensaio de migração para as tintas e os vernizes em contato com produtos alimentares:

O ensaio de migração é uma ferramenta útil para saber se algumas substâncias migram e em que quantidade.

A Declaração de Conformidade é um documento legal que deve acompanhar cada material ou objeto destinado a entrar em contato com os alimentos. Deve dar todas as informações relativas ao contato com os alimentos para que quem usar o produto ou o material saiba:

  • Se é adatado ao uso ao qual se destina.

  • Se a Declaração de Conformidade não precisar o uso específico ao qual se destina, quais são as substâncias a estudar nos ensaios de migração adatados ao uso previsto

  • Se fizer parte de um produto final (no caso do verniz), quais são as substâncias que contém e que se deveriam estudar nos ensaios de migração ulteriores em função da utilização prevista

Uma certificação (geralmente por um terceiro) certifica todos os produtos no âmbito da certificação. Por exemplo, o nosso laboratório parceiro especializado certifica que os produtos da MARCA « X » podem entrar em contato com os alimentos de acordo com o uso previsto declarado na Declaração de Conformidade do produto em questão.

Em Europa, todos os materiais em contato com alimentos (incluído o verniz) devem ser conformes ao regulamento 1935/04. Este determina (no seu anexo I) várias famílhas de materiais (entre eles os vernizes e revestimentos).

O nosso laboratório parceiro especializado participa na redação da Declaração de Conformidade do produto a comercializar: nomeadamente colbaorando com as empresas para verificar que o produto pode entrar em contato com os alimentos, para verificar que as substâncias que foram utilizadas na sua fabricação não são limitadas ou, se o são, que não migram para os alimentos durante o seu uso em quantidades maiores que limitadas.


 
Downloads

MSDS VERNIZ ALIMENTAR WPU

MSDS VERNIZ ALIMENTAR WPU

TDS VERNIZ ALIMENTAR WPU

TDS VERNIZ ALIMENTAR WPU

FT Verniz para Alimentos VA1005

FT Verniz para Alimentos VA1005

Escrever uma avaliação

VERNIZ para contato alimentar direto VA1005

VERNIZ CONTATO ALIMENTAR DIRETO FoodSafe VA1005

Verniz certificado para estar em contato direto com os alimentos

Verniz testado para as migrações de substâncias perigosas

Adequado para recipientes alimentares

Kit de 1,05 ou 5,25 kg



Escrever uma avaliação

 
Comments(0)

Sem avaliações neste momento.

27 outros produtos na mesma categoria

visto recentemente

Menu